Ir para o conteúdo

Câmara Municipal de Maracaju - MS e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Câmara Municipal de Maracaju - MS
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
DEZ
09
09 DEZ 2021
CAMPANHA PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES” LEVA INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO A INTEGRANTES DO INSTITUTO PEQUENO CIDADÃO E VEREADORES PRESTIGIAM A AÇÃO.
enviar para um amigo
receba notícias
A Prefeitura de Maracaju através da Secretaria de Assistência Social, continua levando suas equipes a diversos locais para divulgar a “Campanha 16 Dias de Ativismo: Uma Campanha pelo Fim da Violência Contra as Mulheres”, levando informação e conhecimento sobre o tema e desta vez, visitou as mães e responsáveis pelos alunos do Projeto Social Instituto Pequeno Cidadão.
 
A reunião em formato de “bate papo” visa conscientizar as mulheres sobre a importância de dar um fim ao ciclo de violência, existente dentro das casas, apostando em um trabalho de empoderamento das mulheres, bem como independência financeira e disponibilidade dos serviços da Coordenadoria da Mulher, CREAS e CRAS, incluindo apoio jurídico e psicológico.
 
Nossa luta é para levar informação as mulheres, afinal nestas ações não conhecemos o íntimo de cada mulher, divulgamos de forma coletiva com o objetivo de dizer se houver alguma mulher que está sendo violentada, através de suas inúmeras maneiras como verbal, psicológica, financeira ou até mesmo a agressão em si, há solução e o município conta com uma equipe enorme para dar o suporte necessário para essa mulher quebrar esse triste ciclo da violência.” Explicou Leiza Karen Barbosa, Coordenadora do CREAS.
 
Na ocasião são divulgados os tipos de violência existentes, afinal muitas mulheres não tem o conhecimento e em alguns casos não percebem que sofrem violência, nem sempre a agressão em si, mas outros tipos de abuso.
 
De acordo com Jamaika do Carmo, Coordenadora de Políticas Públicas para Mulheres, todo este trabalho vem sendo realizado de forma intensa, atendendo um pedido da Primeira-Dama Meire Calderan e da Secretária de Assistência Social Dirlene Novais que possuem uma grande preocupação com a violência doméstica em Maracaju.
 
Queremos ressaltar para as mulheres de nossa cidade que elas não estão sozinhas, alertando que em briga de marido e mulher se mete a colher sim e salva a mulher! Contamos com todos para denunciar casos de violência, procurando a Coordenadoria da Mulher, CREAS, CRAS, Sala Lilás, ligando 180, enfim utilizando toda a estrutura que existe para sair deste ciclo de violência.” Afirmou Jamaika do Carmo.
 
Também foram sorteados brindes para as mulheres presentes e o evento foi prestigiado pelo Vereador Rener Barbosa e pelo Presidente da Câmara Robert Ziemann.
 
A Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006) define cinco formas de violência doméstica e familiar. São elas:
 
  • Violência física: ações que ofendam a integridade ou a saúde do corpo como bater ou espancar, empurrar, atirar objetos na direção da mulher, sacudir, chutar, apertar, queimar, cortar ou ferir;
  • Violência psicológica: ações que causam danos emocionais e diminuição da autoestima, ou que visem degradar ou a controlar seus comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, violação de sua intimidade, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir, ou qualquer outro meio que cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação;
  • Violência sexual: ações que forcem a mulher a fazer, manter ou presenciar ato sexual sem que ela queira, por meio de força, ameaça ou constrangimento físico ou moral;
  • Violência patrimonial: ações que envolvam a retirada de dinheiro conquistado pela mulher com seu próprio trabalho, assim como destruir qualquer patrimônio, bem pessoal ou instrumento profissional;
  • Violência moral: ações que desonram a mulher diante da sociedade com mentiras ou ofensas. É também acusá-la publicamente de ter praticado crime. São exemplos: xingar diante dos amigos, acusar de algo que não fez e falar coisas que não são verdades sobre ela para os outros.
 
Com informações do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos
Fonte: Prefeitura Municipal
Autor: Assessoria de Comunicação
Local: Maracaju - MS
Seta
Versão do Sistema: 3.2.2 - 02/05/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia