Ir para o conteúdo

AO VIVO: 36ª SESSÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE MARACAJU..
fechar
ASSISTIR
Câmara Municipal de Maracaju - MS
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
AGO
05
05 AGO 2021
POBREZA MENSTRUAL, UM PROBLEMA DE POLÍTICA PÚBLICA.
22% das mulheres brasileiras, não tem acesso a àgua encanada e absorvente para higiene.
Na Sessão Ordinária desta terça-feira (03/08), o Presidente da Câmara de Maracaju, vereador Robert Ziemann, solicitou a inclusão do Programa Pobreza Menstrual no município.
 
A menstruação é um processo natural do ciclo reprodutivo feminino, começando na puberdade em média aos 13 anos e encerrando por volta dos 50. Apesar de ser algo rotineiro, ocorre uma vez por mês (caso não haja fecundação), o assunto ainda é tabu para muitas pessoas, cercado de desinformação e falta de acesso a absorventes e outros itens de higiene. 
 
Mas você sabe o que é Pobreza Menstrual? 
 
Pobreza menstrual é uma expressão utilizada para denominar a falta de acesso a produtos de higiene menstrual, de infraestrutura sanitária adequada em casa e na escola e de conhecimentos necessários para esse período do ciclo reprodutivo. As brasileiras que mais sofrem com essa situação são as que vivem em condições de pobreza e vulnerabilidade em ambientes rurais ou urbanos. 
 
Você já imaginou estar menstruada sem água encanada e sem absorvente para higiene? Esta é a realidade de 22% das mulheres brasileiras.
 
Segundo dados da Unicef, metade das meninas brasileiras vivem em lares com algum grau de insegurança alimentar. Isso quer dizer que a aquisição de produtos menstruais fica em segundo plano. Outro problema é o acesso ao saneamento básico: no país, a estimativa é que 237 mil meninas não tenham banheiro no local onde moram, nem sequer um buraco cercado por algum material, e precisem fazer as necessidades a céu aberto. 
 
Os substitutos no lugar dos absorventes são muitos e geram insegurança na fase menstrual.
 
A ausência de itens básicos para os cuidados menstruais pode causar desconforto, insegurança, estresse e afetar a autoestima da mulher. Por falta de recursos, o uso de materiais improvisados, como jornal, papel higiênico, miolo de pão e tecidos, as expõem a infecções como a cistite e a candidíase. O uso prolongado de absorventes internos é capaz de causar até mesmo a síndrome do choque tóxico – doença rara, mas grave, que pode levar a amputações e até mesmo à morte. 
 
O Projeto de Lei apresentado pelo vereador Robert Ziemann, propõe a inclusão do Programa Pobreza Menstrual no município de Maracaju, com a doação de Produtos de higienização para mulheres em período menstrual.
 
O Projeto de Lei vem para dar legalidade, se tornar um Programa, e ter a continuidade desta ação, independente de quem esteja à frente da administração do município, e também implantar dentro das escolas municipais a discussão sobre o ciclo menstrual e higienização, pois impacta meninas e mulheres em questões que vão além da saúde e da higiene, disse vereador Robert Ziemann.
 
O projeto, que deve ser colocado em discussão e votação nas próximas sessões, foi desenvolvido com o objetivo de promover a atenção integral à saúde da mulher e aos cuidados básicos decorrentes da menstruação, combater a desinformação e o tabu sobre o assunto, com a ampliação do diálogo sobre o tema nas políticas, serviços públicos, nas comunidades e nas famílias, reduzir as faltas em dias letivos, prejuízos à aprendizagem e evasão escolar de estudantes em idade reprodutiva além de combater a desigualdade de gênero nas políticas públicas e no acesso à saúde, educação e assistência social.
 
Fonte: Câmara Municipal
Autor: Assessoria de Comunicação
Local: Maracaju - MS
Seta
Versão do Sistema: 3.1.5 - 04/10/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia